Ourinhos,
Anuncie Aqui | Fale Conosco | Notícias no What’s (14) 99637-3212

Postado em 30/01/2020 às 11:19

O que aparece no QR Code das placas do padrão Mercosul?

Não basta o celular ler o código: é preciso ter cadastro no Denatran para acessar informações. Só assim será conhecida a cidade onde o carro foi emplacado.

 

As placas padrão Mercosul, que entram em vigor em todo o país nesta sexta-feira, 31, têm diversas mudanças em relação às placas cinza usadas atualmente na maioria dos estados. Uma delas é que agora a cidade do veículo não é mais informada na peça.

Nos estados que se adiantaram ao prazo, algumas placas novas chegaram a sair com a impressão do brasão dos municípios, mas a exigência foi retirada em 2018.

Agora este dado só pode ser conhecido por meio do QR Code, um código que é lido pelos celulares — mas, para chegar nessa informação, é preciso mais do que mirar o telefone, é preciso ter cadastro no Denatran para acessar informações.  

 

Veja dados acessados com o QR code da placa:

Informações geradas pelo QR code da Placa do Mercosul no site do Denatran — Foto: Reprodução

 

Na última quinta, o ministro da Infraestrutura, Tarcisio Freitas, disse em um vídeo em rede social, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, que, com o QR Code, "o cidadão vai poder fotografar e vai saber onde o carro foi emplacado, qual é o proprietário, o modelo, vai ter uma parte do chassi disponível".

No teste feito pelo site G1, isso não é imediato nem todos esses dados estão disponíveis nos sistemas do governo para acesso público: diferente do que disse o ministro, não foi informado o nome do proprietário.

Veja passo a passo da 'leitura' da placa:

  • o QR Code, que fica no canto superior esquerdo da nova placa, normalmente pode ser lido por câmeras de smartphones ou por aplicativos para esse fim (leitores de QR Code);
  • mas, para ler a placa padrão Mercosul, é preciso ter um aplicativo especifico: é o VIO, disponível para Android e iOS (o sistema operacional dos iPhones);
  • com ele, o que aparece é um número de série, e não imediatamente as informações do veículo; no caso do teste feito pelo G1, eram 15 algarismos;
  • e surge um aviso, dizendo que "o código seguro da placa é destinado às autoridades de controle para uso durante a fiscalização de veículos";
  • porém, segundo instruções do Ministério da Infraestrutura, de posse desse número de série, é possível acessar os dados por meio do Portal de Serviços do Denatran;
  • mas é necessário ter um cadastro no site, informando o CPF;
  • o portal tem um campo de consulta para placa veicular, onde devem ser colocados o número gerado pelo QR e a placa do veículo. Aparecem, então:
  1. placa e o número gerado na leitura do QR Code;
  2. data, hora, município e o estado da estampagem;
  3. responsável pela lacração (provavelmente a instalação da placa, já que não há mais lacre; no teste feito pelo G1, era o Detran);
  4. se é placa dianteira ou traseira;
  5. situação da placa (ativada ou desativa);
  6. dados do fabricante da chapa e do estampador (CNPJ e razão social);
  7. placa atual;
  8. os últimos 5 números do chassi;
  9. estado e município onde o veículo é registrado;
  10. marca e modelo do veículo;
  11. ano de fabricação;
  12. ano/modelo

 

Onde consultar os dados da placa

Página do Denatran para utilizar QR code da nova placa — Foto: Reprodução

Também é possível acessar os dados por meio de outro aplicativo, o Sinesp Cidadão. Ali não é necessário ter um número gerado pelo QR Code. Basta ter a placa, seja padrão Mercosul ou a tradicional placa cinza. No entanto, este aplicativo divulga menos informações do que as disponibilizadas no Portal Denatran.

 

Informações no aplicativo Sinesp Cidadão sem o uso do QR code — Foto: Reprodução

Modelos de placas do padrão Mercosul — Foto: Roberta Jaworski, Karina Almeida, Claudia Peixoto e Juliane Souza/G1

Informações G1

 

 

Veja Também

DIG esclarece homicídio de morador de rua em Ourinhos
Médicos voluntários de Ourinhos criam grupo para ajudar pessoas na quarentena
Cidade da região confirma morte por dengue e contabiliza quase 200 casos
Portaria do estado de SP diz que qualquer cadáver deve ser considerado portador suspeito da COVID-19
© 2019 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por StrikeOn