Ourinhos,
Anuncie Aqui | Fale Conosco | Notícias no What’s (14) 99637-3212

Postado em 16/09/2020 às 18:54

72% dos consumidores ourinhenses pretendem comprar no comércio local

ACE Ourinhos buscou dados para orientar ações de marketing e posicionamento estratégico do comércio até o final deste ano.

    0641145001600293560.jpg

O regime de restrição de circulação de pessoas durante a pandemia do novo coronavírus atingiu a todos e com o comércio não foi diferente, submetendo empregadores e empregados ao fechamento de lojas, suspensão de contratos, demissões, restrições de toda a ordem na retomada de flexibilização, entre outros efeitos negativos que marcaram o período que ainda está em curso. Pensando nisso, a Associação Comercial e Empresarial de Ourinhos (ACE), por iniciativa de seu presidente, empresário Robson Martuchi, encomendou uma pesquisa de opinião de cunho científico e estatístico para avaliar o comportamento do consumidor local tanto no atual momento quanto para os próximos meses que restam para o fechamento de 2020. “Precisamos nos posicionar estrategicamente para respaldar nossos associados, para isso ter informações fidedignas é fundamental”, justificou o presidente da ACE, que também é engenheiro de Produção.

A pesquisa foi realizada neste mês de setembro e avaliou opiniões e cenários que, segundo a ACE, poderão nortear inclusive ações que a entidade pretende realizar até dezembro objetivando o estímulo às vendas sem prejuízo dos cuidados sanitários contra a Covid-19. Uma das perguntas feitas aos consumidores pelo instituto de pesquisa contratado, foi: Considerando o regime restritivo de horários do comércio e necessidade de prevenção à Covid-19 em Ourinhos, você está evitando ir até as lojas para suas compras?; Fazendo compras através de redes sociais e whatsapp?; Comprando normalmente diretamente nas lojas físicas?; ou, comprando até mais nas lojas físicas em relação ao período antes da pandemia?

Na opinião dos entrevistados, considerando 2% de margem de erro, 55% afirmaram que estão evitando ir às lojas; 24% disseram estar usando os canais digitais das lojas locais; 21% admitem estar comprando normalmente no comércio da cidade; e zero por cento revela estar comprando mais que antes da pandemia. “Esses dados nos mostram como a venda via redes sociais ganharam a espaço no comércio local, assim como quanto as lojas físicas perderam receita mesmo no período de flexibilização, quando a pesquisa foi realizada.”, avalia Robson Martuchi. Outro dado destacado pelo presidente da ACE é que o número de consumidores que evitaram sair de casa para suas compras aproxima-se das taxas de isolamento social que vinha sendo divulgadas pelo Governo do Estado, quase todas em torno dos 50%.

Diante da instabilidade quanto ao sobe e desce das fases em que o município vem se posicionando na região de Marília, a ACE quis saber dos consumidores: Na hipótese de haver mais restrições de horários para abertura do comércio de Ourinhos, seu comportamento será: Evitar ir diretamente até as lojas para suas compras?; Preferir comprar através das redes sociais e whatsapp das lojas?; Comprar normalmente nas lojas mesmo com horários reduzidos?; ou buscar outras opções de compras em shopping, sites e outras cidades?

Em resposta a primeira pergunta, o resultado foi que 51% iria evitar ir até as lojas físicas; 27% preferiria utilizar as redes sociais das empresas locais; 18% comprariam diretamente nas lojas; e 4% optaria por shoppings, sites e outros centros comerciais. “De certa forma, podemos interpretar que o comportamento dos consumidores, no caso de mais restrição ao funcionamento do comércio, não mudaria significativamente em relação à primeira experiência no ponto alto da pandemia”, ponderou Martuchi.

Outro dado revelado pela ACE sobre a pesquisa realizada juntos aos consumidores ourinhenses, projetou qual será o comportamento do público até dezembro deste ano considerando as medidas restritivas contra a Covid-19 que devem permanecer em todo o comércio: dariam prioridade a compras somente em lojas do comércio de Ourinhos?; comprariam em lojas de Ourinhos somente se tiverem promoções e ofertas?; fariam compras em sites e-commerce e marketplaces?; optariam por comprar em lojas de Ourinhos mas preferindo os meios digitais, como Whatsapp, Facebook e Instagram?

36% afirmou que privilegiaria suas compras nas lojas físicas locais; outros 36% comprariam no comércio local se estimulados com promoções e ofertas; 18% optariam por comprar através de sites e-commerce e marketplaces; e 10% gostariam de adquirir produtos pelas redes sociais das lojas. “De cara, essa questão evidenciou a necessidade de buscarmos esses 36% que se dispõem a comprar no comércio de Ourinhos estimulados por campanhas promocionais e estímulos em ofertas e condições especiais planejadas pelos próprios lojistas”, avaliou o presidente da ACE.

Robson Martuchi também considera interesssante que o comerciante observe a necessidade de ativar seu canais digitais para atrair esses 10% que afirmam preferir comprar pelas redes sociais das próprias lojas, e, quem  sabe, levar esse recurso a mais clientes pela facilidade e eficiência já desenvolvida durante os meses de pandemia. Outro dado comemorado pelo presidente da ACE é a preferência de 18% dos consumidores locais por sites e-commerces e plataformas marketplaces, já que a ACE deve lançar ainda este mês o seu próprio site coletivo de vendas, o www.ourinhos365.com.br.

 

 

 

 

Veja Também

Homem e adolescente de 17 anos são flagrados com drogas no Flamboyant em Ourinhos
Morador da Cohab é preso em flagrante por furto de motocicleta em Ourinhos
Crônica do Vivan: Bailes e festas de uma Ourinhos do passado
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
© 2019 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por StrikeOn