Ourinhos,
Anuncie Aqui | Fale Conosco | Notícias no What’s (14) 99637-3212

Postado em 24/01/2021 às 09:28

Era nosso delivery espontâneo, se ouvisse o som da matraca; Jair Vivan Jr e a crônica do passado

    0442242001611491580.jpg

Delivery

As ofertas vinham ao nosso encontro, tinha que entender os sinais, era nosso delivery espontâneo, se ouvisse o som da matraca, aquela alça de metal fixada no suporte de madeira quicando ao ser chacoalhada, tec tec, tec tec, tec tec, era o "bijuzeiro" com seu grande recipiente cilíndrico cheio do produto, na tampa tinha uma roleta que dava direito a compra premiada, podendo levar de dois a três bijus pelo preço de um.

Aquela buzininha ardida de boca de corneta e bombinha de borracha apertada insistentemente em compasso rápido, era o algodão doce que vinha com o carrinho envidraçado com alguns já prontos em exposição, mas preferíamos os feitos na hora o negócio era ver ele girando na força do pedal e formando as teias doces de fios do açúcar que era colocado no orifício central do recipiente redondo, o qual acumulava no fundo, torrõezinhos que levávamos como cortesia e quando não tínhamos dinheiro, o "algodãozeiro" nos presenteava com esta rapa. 

A mesma buzina em compasso mais lento era o sorveteiro, o bucheiro também usava desta buzina, só que maior, a qual emitia um som mais encorpado, este em princípio era de interesse dos adultos pois comercializava miúdos, na maioria das vezes, de boi.

Para os adultos tinha também o amolador de facas e tesouras que era o fascínio da criançada, de longe já anunciava sua chegada ao emitir o som estridente do atrito do metal à ser afiado com a pedra giratória, movida pela correia envolta na roda de carroça girada por um único pedal, adaptada a um cavalete em forma de carriola para ser transportado, "fuimmm", era ele, rodeava de moleques para apreciar o som variado da operação dependendo da criatividade do afiador que para nós eram admiráveis artistas, tinha um que quebrava o galho dando fio às faquinhas de prego que produzíamos nos trilhos do trem.

O Leiteiro com os tambores, o produto era comercializado em recipientes retornáveis, de vidro ou alumínio e tinha que ser muito bem fervido, era a charrete que deixava o risco branco pela rua quando a torneirinha ficava aberta, as vezes cruzando com o risco vermelho deixado pelo bucheiro, seguido por uma fila de cachorros.

O padeiro, que também era de interesse da criançada devido ao pão doce e as caronas, também passava a baiana da cocada, a martelinha (que como lembrou um amigo, "o preço era o tanto de dinheiro que você tinha"), a mulher que vendia sonhos, o pipoqueiro, o verdureiro, o  vendedor de pirulitos no tabuleiro furadinho, o "guardachuveiro" que fazia pequenos consertos, o peixeiro dentre outros que batiam palmas no portão, gritavam anunciando seu produto ou serviço, emitiam algum som normalmente característico que chamasse a atenção.

E de repente me lembrei, talvez da mais remota lembrança desta rodada, o som do realejo se aproximando, ainda tinha por aqui e corríamos para o periquito tirar nosso bilhetinho da sorte, tinha que pagar, mas era baratinho, às vezes também, o tanto que você tinha, qualquer moedinha.

O mundo foi se modernizando e adaptou-se às comodidades das entregas em domicílio, em sua maioria feita pelos motoboys e assim entramos na era do delivery.

Mas jamais poderíamos imaginar que no futuro as entregas de nossos fast foods e produtos de pequeno porte, executadas através de digitação em um aplicativo, seriam realizadas por drones que chegam sorrateiramente, quase invisíveis e limitados ao som de seus motorzinhos.

(Reveja outras crônicas - Clique na foto acima)

Veja Também

ACE Ourinhos divulga palestra: “Cenário Econômico 2021”
Depois de avançar vacinação para os jovens, secretário de Saúde garante que não vai atrasar segunda dose em Ourinhos
Filho de 16 anos da cantora de forró Walkyria Santos é encontrado morto em casa
MP do Rio vai investigar site “Xvídeos” por suposta propaganda enganosa de pílulas para disfunção erétil
© 2019 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por StrikeOn